Iscas artificiais: fisgue essa ideia!
Foto: S. Solutions
Iscas artificiais são uma prática nova de pesca no Brasil
Iscas artificiais: fisgue essa ideia!
Foto: Fotolia
A história aponta seu surgimento em 1930
Iscas artificiais: fisgue essa ideia!
Foto: Catwomancristi
Cursos ensinam até a melhor postura para se pescar
Iscas artificiais: fisgue essa ideia!
Foto: Alexandre e Silva
Pescar com iscas artificiais exige conhecimento
Compartilhe

Iscas artificiais: fisgue essa ideia!

Quinta, 18 Agosto 2011 10:44
Odeir de Souza | Especial para o Caravana

Articulista do Caravana aborda o tema "iscas artificiais", sua história e segredos e revela cursos à disposição para quem deseja dominar a arte

O sucesso na pesca de com iscas artificiais depende de dedicação, precisão nos arremessos, conhecimento dos locais de pesca, como estruturas, árvores frutíferas, variação de marés, situação da água, temperatura, luminosidade, fase da lua, pressão atmosférica e principalmente o trabalho da isca, dando “vida” ao peixinho artificial.

Ter sorte na pescaria é também vital, mas o conhecimento das técnicas de pesca e das alterações no ambiente aquático causados por fenômenos climáticos e lunares é fundamental.

Muitos pescadores acreditam que para dominar a arte da pesca com iscas artificiais vem somente com muita prática. E é verdade! O estudo de conceitos teóricos aliado com treinamentos e várias pescarias são quesitos para aprimorar a técnica, porém participar de um curso de pesca com iscas artificiais certamente abrevia se o tempo, além de desenvolver a técnica da forma correta com a orientação de profissionais altamente experientes.

Há relatos que a pesca com iscas artificiais já era praticada há mais de 170 anos antes de Cristo. Nossos antepassados usavam penas de aves enroladas em formas rudimentares de anzóis (nos dias atuais conhecidas como moscas, iscas usadas na pesca de fly).

Em 1930 um pescador finlandês rústico e humilde, Lauri Rapala, conseguiu um feito: ao pescar no lago Päijänne na Finlândia, Lauri discretamente observou que os predadores famintos devoravam, de forma sistemática, os cardumes de peixinhos menores – e em particular aqueles peixes que estavam debilitados ou feridos e cujo nado era irregular. E assim começou a maior história da pesca esportiva de todos os tempos.

Em 1936, Rapala iniciou seu projeto na produção de sua primeira isca artificial, que começou a tomar forma usando cortiça, uma lixa e faca de couros de sapateiro. O papel de estanho, que servia de invólucro para as barras de chocolate, foi utilizado para imitar as escamas e a película de negativos fotográficos derretida revestia e protegia o acabamento. No entanto, o importante é que a isca imitava com perfeição a ação de nado de um peixinho ferido.

A história e lenda reportam que o pescador fisgava cerca de 270 quilos diários de peixes com sua nova isca e assim sua reputação tomou corpo e deu o nome a isca artificial mais conhecida no mundo: a rapala.

A prática da pesca com iscas artificiais no Brasil é muito nova. Começou com uma minoria privilegiada, há cerca de quatro décadas, uma vez que era muito caro e difícil de conseguir as iscas de procedência estrangeiras.

O pescador brasileiro começou a se encantar e se familiarizar com as iscas artificiais a partir de 1990 com o surgimento dos programas de pesca na televisão brasileira. O “Pesca Brasil” foi o percursor.

Nos últimos 15 anos houve um grande crescimento no número de programas de televisão, revistas, pousadas, agências de turismo, oficinas de manutenção e lojas especializadas no ramo da pesca, juntamente com os cursos de pesca com iscas artificiais.

A maioria desses cursos foi idealizada por personalidades da mídia da pesca, como apresentadores de programas de TV e colaboradores de revistas.

Cursos à disposição

Há também cursos ministrados por atletas renomados, lojistas, representantes comerciais e outros profissionais com vasta experiência na pesca com iscas artificiais.

Boa parte dos cursos de pesca com iscas artificiais é feito em três dias, sendo dois dias de aula teórica e um dia de aula prática em “pesque pague” ou vice versa com mais aulas práticas. Os valores variam de R$ 300,00 a R$ 500,00 incluso material didático e o empréstimo do equipamento de pesca.

Nos cursos completos para iniciantes são ensinados desde a postura correta para segurar uma vara de pesca, passando por materiais nobres e avançada tecnologia na fabricação de linhas e varas até a forma correta de soltar os peixes.

Para os pescadores que já tem uma boa experiência com iscas artificiais, há os cursos avançados que são centrados mais em diferentes técnicas de arremessos de precisão.

Nas cidades próximas do litoral, alguns instrutores oferecem o curso de pesca de robalo com iscas artificiais que é um peixe predador muito exigente no trabalho de isca e na precisão do arremesso.

É comum dizer que o pescador que consegue capturar robalos usando “plugs” não tem dificuldade em fisgar peixes com iscas artificiais.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x