Aprenda dicas valiosas de como pescar a sororoca no corrico
Foto: Lisa Andres
A embarcação precisa estar em movimento
Aprenda dicas valiosas de como pescar a sororoca no corrico
Foto: Divulgação
Cores e tamanhos das iscas precisam ser observadas
Aprenda dicas valiosas de como pescar a sororoca no corrico
Foto: Divulgação
Iscas nas cores verde limão fazem muito sucesso
Compartilhe

Aprenda dicas valiosas de como pescar a sororoca no corrico

Quinta, 21 Julho 2011 16:03
Odeir de Souza | Especial para o Caravana

Artigo revela boas dicas de como o pescador deve proceder nesta pesca

Com o término do verão, as temperaturas tanto do ambiente quanto da água entram em declínio contínuo e a produtividade da pesca tende a cair bruscamente, principalmente no outono, que é um período de transição de temperaturas.

Nesta época, os peixes de água quente ficam inativos ou migram para locais mais quentes e os peixes de água fria ainda estão escassos.

Uma boa opção de pescaria para esse período é a modalidade de corrico, visando as Sororocas, que são peixes que sempre estão perto de estruturas em busca de alimento.

No litoral paranaense, as sororocas estão presentes o ano todo, somente variando o tamanho dos cardumes conforme a época do ano e a quantidade de comida (peixinhos) na região.

Elas são encontradas nadando próximo da superfície perto de canais sinalizados de navios, ilhas costeiras e oceânicas, parcéis, navios ancorados e atrás de cardumes de sardinhas, manjubas e outros pequenos peixes.

Na pescaria de corrico, os exemplares variam de 2 a 8 kg, mas também pode ocorrer de entrar uma cavala-verdadeira, que ultrapassa os 15 kg.

Por ser um peixe voraz e dotado de fortes dentes, a sua pescaria requer equipamentos adequados. O ideal é usar carretilha ou molinete que comporte aproximadamente 150 metros de linha multifilamento ou monofilamente com resistência no mínimo de 30 libras.

Já as varas devem ser compatíveis com a linha, ou seja, entre 20 a 40 libras. É muito importante o uso de líder de fluorcarbono que tem maior resistência à abrasão e é praticamente invisível em baixo da água.

Iscas: cores e tamanhos

Quanto ao uso de empate de aço flexível, giradores e snaps tudo vai depender da voracidade do peixe e precaução do pescador. É certo que o empate influencia no nado da isca e também inibe o ataque de peixes manhosos, porém é muito comum grandes sororocas cortarem o nylon. Os snaps têm que ser de excelente qualidade para não abrir na hora da briga com o troféu.

O tamanho da isca para corrico de sororoca varia de 7 a 14 cm e é sempre bom "trabalhar" com cores, tamanhos e barbelas diferentes para descobrir a profundidade, o tamanho e a cor da isca o peixe quer atacar.

As cores que fazem mais sucesso são: verde-limão, branca com cabeça vermelha, tigresa (rajada), azul com a barriga prateada (sardinha), mas também é interessante experimentar outras cores.

É muito importante observar o tamanho dos peixinhos que a sororoca está atacando no local e procurar uma isca semelhante à comida do peixe, ai será fatal o ataque.

A velocidade do corrico e a distância das iscas da embarcação são fatores importantíssimos no sucesso da pescaria. A velocidade deve iniciar entre 5 a 7 km/h e se constatar que os ataques não estão resultando em boas fisgadas pode aumentar a velocidade entre 8 a 10 km/h.

Nos barcos que não possuem outriggers (grandes varas acopladas ao barco), o ideal é soltar quatro iscas, sendo duas na popa e uma em cada borda da embarcação com distâncias variadas entre 20 a 50 metros. Outra dica imprescindível é a regulagem do freio da carretilha e/ou molinete que deve ser calibrado em torno de 1/3 da resistência da linha.

O corrico além da possibilidade de capturar bons exemplares tem o atrativo de balançar menos que o barco ancorado, ou seja, diminui a possibilidade do pescador enjoar, mesmo aqueles que têm pouca resistência em mar aberto.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x