Aventura junto à fauna e à flora
Foto: Daniel Cotellessa
Rio Pacaás-Novos é conhecido pelas águas claras
Aventura junto à fauna e à flora
Foto: Daniel Cotellessa
A fauna local é rica em espécies de aves
Aventura junto à fauna e à flora
Foto: Daniel Cotellessa
O museu na antiga estação de trem é atração
Aventura junto à fauna e à flora
Foto: Daniel Cotellessa
A arara é uma das atrações da fauna local
Compartilhe

Aventura junto à fauna e à flora

Segunda, 14 Março 2011 15:18
Daniel Cotellessa | Especial para o Caravana

O município de Guajará-Mirim, em Rondônia, é o paraíso para os amantes da observação da vida selvagem com suas mais de 300 espécies de aves


Guajará-Mirim, que no idioma tupi-guarani significa “Cachoeira Pequena”, possui cerca de 40 mil habitantes e é o segundo maior município do estado de Rondônia em extensão territorial.

Sua história está ligada diretamente com a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, que fica às margens do Rio Mamoré e, por isso, é conhecida como a “Pérola do Mamoré”.

A cidade recebeu o título de Cidade Verde, outorgado pelo Instituto Ambiental Biosfera, em razão de seu Mosaico de Áreas protegidas em 2009. Isso a torna um dos maiores municípios brasileiros em áreas preservadas.

Mais de 93% de sua área total é constituída de Unidades de Conservação (Terras Indígenas, Reservas Extrativistas e Biológicas), que faz da região um grande santuário de preservação da fauna e da flora.

As junções dos rios Mamoré com o Pacaás-Novos fazem com que as águas barrentas do Mamoré fiquem separadas das águas cristalinas do Pacaás-Novos, num espetáculo da natureza aos que o visitam.

É possível também visualizar botos emergindo das águas do rio, num outro momento único e de grande emoção na região. Diversas espécies de pássaros atravessavam também a paisagem, o que torna o lugar perfeito para descansar, sentir a natureza local e, é claro, fotografar.

Uma lista com mais de 300 espécies diferentes de aves faz com que turistas de todos os cantos venham para Guajará-Mirim praticar atividade de observação.

As mais comuns são o Bico de Brasa, Aracuã, Martim Pescador, Pica-paus, Garça, Garça Parda, Socó, Gavião, Biscateiro, Uirapuru e até a Cigana (tipo de ave com "parentesco" com os animais pré-históricos).

"Os especialistas encontraram uma espécie que chamaram de White Breast Ant Bird, algo como papa formiga de peito branco, que é endêmico desta região e já houve observadores de aves vindos da Austrália só pra ver esse animal", ressalta Paulo Saldanha, proprietário do hotel Selva Pakaás, uma das principais opções de hospedagem em Guajará-Mirim.

O Município tem muitas histórias, todas elas preservadas no Museu Histórico Municipal, que está localizado na antiga estação da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e mantém viva a história local desde 1979. Visitá-lo é também uma obrigação.

Leia também
  • Notícias Mão na corda

    Turismo sem limites

    No Dia Nacional da Pessoa com Deficiência em Parques e Atrações Turísticas, a Embratur lança programa de incentivo ao turismo de aventura adaptado, numa ação inédita no país

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x