Aluguel de bike é sucesso em outras capitais brasileiras
Foto: Divulgação
No Rio, o serviço é oferecido com sucesso
Bikes Campinas / Divulgação
Foto: Divulgação
Os campineiros contam com nove pontos de integração
Bikes Santos / Divulgação
Foto: Divulgação
Em Santos, as viagens de 30 minutos saem de graça
Bikes Porto Alegre / Divulgação
Foto: Divulgação
A Bike POA oferece plano no valor de R$ 10,00/mês
Bike São Paulo / Divulgação
Foto: Divulgação
O bairro de Vila Mariana (SP) conta com o serviço
Bike Londres / Divulgação
Foto: Divulgação
Em Londres, a ação já é uma realidade
Compartilhe

Aluguel de bike é sucesso em outras capitais brasileiras

Terça, 15 Janeiro 2013 13:25
Caravana da Aventura | Da Redação

Assim como em São Paulo, serviço é oferecido em outras cidades brasileiras como Rio, Porto Alegre, Recife e Campinas


As ações de olho numa maior mobilidade urbana alastram-se pelo país. São Paulo impulsiona o uso das bikes no dia a dia das pessoas, mas outras importantes capitais brasileiras já oferecem o serviço, contribuindo para uma qualidade de vida melhor para as pessoas e um trânsito também menos caótico pelo Brasil, além, é claro, dos benefícios de tal ação para o meio ambiente.

Algumas empresas especializadas em aluguel de bikes estão indo muito bem e já contam com a experiência em seu currículo para levar a ideia cada vez mais longe. É o caso do sistema de bicicletas públicas SAMBA, que já implementou o serviço nas seguintes cidades brasileiras: Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

Outras empresas estão também na empreitada e já somam um contingente importante de bikes e locais cobertos pelo serviço prestado. A Viva Bike implementou o mesmo tipo de solução em Campinas e um convênio assinado com a prefeitura de Recife, já autoriza o início desses sistemas na cidade pernambucana, o qual será implementado na cidade pelo Projeto de Mobilidade Urbana do Porto Digital.

Leia também: Descubra onde alugar sua bike em São Paulo!

Com tantas iniciativas, cada vez uma parcela maior da população brasileira tem acesso ao uso das bikes e pode contribuir para a melhora do trânsito, da qualidade do ar e diminuição da poluição sonora.

Se você vive em alguma dessas cidades ou pretende ir a passeio, saiba como funciona o aluguel de bicicletas e não perca seu tempo parado no trânsito.
 
Viva Bike – Campinas (SP)
A cidade do interior de São Paulo já conta com nove pontos de integração e parada na cidade. O sistema já tem mais de 3 mil cadastrados e, inicialmente, funcionará até março em caráter experimental. Qualquer pessoa pode se cadastras e utilizar o sistema quantas vezes precisar por dia. As bicicletas podem ser usadas gratuitamente por 30 minutos (com um tempo de espera de, no mínimo, 15 minutos entre cada retirada). Se ultrapassado este tempo em 30 minutos, o usuário será multado em R$ 5,00, caso o tempo extra exceda 1 hora, a multa passa para R$ 10,00 para cada meia hora, após 2 horas de tempo excedido, o usuário passa a ser penalizado em R$ 20,00 por hora extra.
O cadastro deverá ser feito no site da empresa Brasil e Movimento, e custa R$ 40,00 (pagos via cartão de crédito, débito ou boleto bancário), válido por seis meses, mais uma taxa de R$ 10,00 do seguro contra acidentes.
Horário de funcionamento: das 5h à 0h, a partir da 0h nenhuma bicicleta poderá ser retirada, apenas devolvida.
Estações:
Distrito de Sousas: Praça Beira Rio e Praça do Obelisco (situada na Av. Dr. Antonio Carlos Couto de Carros, na entrada do distrito)
Lagoa do Taquaral (no portão 1 – Bonde; no portão 7 – Ginásio)
Distrito de Barão Geraldo: Praça Henfil (próximo ao Bandejão da Unicamp) e Praça 31 de Dezembro (Albino José Barbosa de Oliveira)
Canteiro central do cruzamento entre as Avenidas Orosimbo Maia e José de Souza Campos (Norte-Sul), no Cambuí
Cruzamento das avenidas Moraes Salles com Princesa D’Oeste (embaixo do viaduto São Paulo), no Bosque
Canteiro central da Avenida Princesa D’Oeste, na altura do número 625, no Jardim Proença.
 
Porto Digital (PE)
No centro de Recife, o sistema de aluguel de bikes pode ser utilizado por qualquer pessoa cadastrada no site Porto Leve. Por R$ 10,00 mensais, que dão direito ao uso ilimitado das bikes, o cidadãos vão poder se locomover entre alguns bairros da cidade, de Santo Amaro e de Santo Antônio.
Cada uma das dez estação tem capacidade para dez bicicletas e estão localizadas em pontos estratégicos da cidade.
O uso das bikes é permitido por 30 minutos e elas podem ser devolvidas em pontos diferentes daqueles onde foram retiradas.
Se o usuário precisar de mais tempo para o deslocamento, poderá retirar bicicletas quantas vezes quiser, desde que haja 15 minutos entre a devolução e um novo empréstimo.
Caso o horário de devolução seja ultrapassado, o usuário é “multado” em R$ 5,00.
Horário de funcionamento: todos os dias, das 8:00 às 22:00h
Estações: Rua da Aurora (Próximo à Ponte do Limoeiro) ,Praça do Arsenal, Rua do Lima, Praça Tiradentes, Paço da Alfândega, Rua Bione (próximo ao Cesar), Travessa do Bom Jesus (na esquina com a Rua do Apolo), Em frente à sede da Prefeitura, Terminal de Passageiros do Cais de Santa Rita, Rua do Apolo (próximo ao edifício Vasco Rodrigues)
 
SAMBA - Sistemas de bicicletas públicas (SP, RS e RJ)
Santos (SP), Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ) também aderiram ao sistema de bicicletas públicas. Em parcerias com a prefeitura de cada cidade, a Serttel é a empresa que disponibiliza bicicletas de alumínio, equipadas com todos os recursos de segurança e monta as estações em pontos estratégicos das cidades, de modo que facilite ao máximo o deslocamento das pessoas.
Assim como nos outros sistemas, as bicicletas podem ser retiradas e devolvidas em diferentes estações. Para se beneficiar do serviço o usuário deve se cadastrar e seguir algumas normas, um pouco diferente para cada cidade.
 
Santos (SP)
O cadastro custa R$ 10,00 (obrigatoriamente pelo sistema de cartão de crédito), feito isso o usuário pode fazer quantas viagens quiser durante o dia, aquelas de até 30 minutos são gratuitas (desde que realizadas com um intervalo de pelo menos 15 minutos entre cada nova retirada da bike da estação).
Sendo ultrapassado este tempo, serão cobrados R$ 5,00 por cada 30 minutos adicionais.
A cidade já conta com 21 estações ativas, que funcionam diariamente das 6h às 22h. Para mais informações acesse o portal do Bike Santos.
 
Porto Alegre (RS)
O Bike POA tem um plano mensal (válido por 30 dias), feito mediante cadastro, custa R$ 10,00 (valor pago via cartão de crédito). Já para uso diário, eventual, não é preciso fazer cadastro e custa R$ 5,00 (também mediante cartão de crédito) e é válido por 24 horas.
Já as regras gerais valem para os dois planos, o usuário pode fazer quantas viagens quiser durante o dia, com duração de até 60 minutos, desde que haja um intervalo de pelo menos 15 minutos entre elas.
Se excedido este tempo, serão cobrados R$ 5,00 por hora adicional.
Atualmente a cidade conta com 15 estações em funcionamento e 16 em fase de ativação.
As bicicletas podem ser retiradas qualquer dia da semana das 6h às 22h (a devolução deve ser feita até às 23:00h).
Para mais informações, acesse o site do Bike POA.
 
Rio de Janeiro (RJ)
As regras, preços e horários são os mesmos válidos para o sistema implantado na cidade de Porto Alegre (RS). O plano mensal (válido por 30 dias), feito mediante cadastro, custa R$ 10,00 (valor pago via cartão de crédito), para uso diário, eventual, não é preciso fazer cadastro e o valor é R$ 5,00 (também pago com cartão de crédito e com duração de 24 horas).
Segundo as regras gerais, válidas para os dois planos, o usuário pode fazer quantas viagens quiser durante o dia, com duração de até 60 minutos, com intervalo mínimo de 15 minutos entre elas. Se exceder o tempo, serão cobrados R$ 5,00 por hora adicional.
A cidade já conta com 60 estações, que funcionam diariamente das 6h às 22h. Para maiores informações, acesse a página do Bike Rio.
Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x