Foto: Álvaro Perazzoli
Foto: Álvaro Perazzoli
Cadu Polazzo em ação no Pan-Americano
Foto: Álvaro Perazzoli
Foto: Álvaro Perazzoli
Treinador prevê bons resultados dos brasileiros
Compartilhe

Técnico da seleção brasileira sonha alto no Mundial de montain bike

Segunda, 01 Setembro 2014 10:16
Caravana da Aventura | Da Redação

Cadu Polazzo acredita que os atletas brasileiros cheguem ao top-30 na competição que será disputada na Noruega

Há alguns anos não era comum que atletas brasileiros disputassem competições internacionais no circuito mundial de mountain bike. Nas últimas temporadas, entretanto, essa realidade está mudando – e a consequente melhora no desempenho do Brasil.

Para o Campeonato Mundial de MTB, que acontece a partir desta terça-feira (2), na Noruega, a aposta da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) é conseguir colocações dentro do top-30 na Elite masculina e feminina.

Técnico da seleção brasileira de mountain bike, Cadu Polazzo está otimista com a participação dos atletas nacionais. A equipe é formada por Erika Gramiscelli, Isabella Lacerda, Raiza Goulão, Henrique Avancini, Sherman Trezza, Ricardo Pscheidt e Rubens Donizete, a equipe nacional chega preparada e com boas chances de conseguir bons resultados em terras europeias.

“Estamos a cada ano melhorando nossa classificação, mas esse é um planejamento de longo prazo, que leva tempo mesmo. Os atletas brasileiros estão cada vez mais presentes em provas no exterior, o que é fundamental para a evolução. Faz parte do desenvolvimento técnico que queremos para os mountain bikers brasileiros, afirma Cadu.

"Sabemos que a evolução depende muito do ambiente em que são as competições, das dificuldades técnicas do circuito e inclusive da imitação de linha dos atletas de ponta.”

Além de melhorar a pontuação para conseguir vagas olímpicas, um dos objetivos de participar das provas da União Ciclística Internacional (UCI) é melhorar o posicionamento dos atletas brasileiros no ranking mundial. Com isso, os atletas do país vão largar melhor posicionados nas provas mundiais – o que faz muita diferença na modalidade.

“Por conta dos últimos resultados e dos pontos conquistados, o Avancini já vai largar em uma posição melhor agora no Mundial, o que pode fazer a diferença positivamente para ele”, comentou Cadu, que no início do ano representou o Brasil no Primeiro Curso Técnico Continental de Alto Nível em Mountain Bike.

De acordo com o treinador, um dos segredos para conseguir um bom resultado no Mundial é o ritmo constante desde a largada até o final da prova.

“Numa prova dessas não dá para largar com toda a força e diminuir a intensidade durante a prova. Em uma competição com nível internacional, se o atleta pedalar 2% abaixo do seu nível pode perder mais de 10 posições – o que compromete toda a corrida e o treinamento”, finalizou Cadu.

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x