Ouro Preto (MG)
Foto: Chris Diewald
A pequena Ouro Preto está cravada entre montanhas
Ouro Preto (MG)
Foto: JS Chneid
O casario de Ouro Preto apresenta muitas histórias
Compartilhe

Ouro Preto (MG)

Caravana da Aventura | Da Redação

“Em cada aresta de pedra uma epopeia ressoa.” Ouro Preto é barroca desde o primeiro verso do seu hino. A força da expressão do Criador está nos santos de Aleijadinho ou na Cachoeira das Andorinhas, na majestade das igrejas da cidade e das matas do Parque Estadual do Itacolomi. Além da riqueza histórica e cultural nas ruas, igrejas e museus, Ouro Preto possui uma natureza igualmente exuberante, fonte de inspiração para os artistas e artesãos que fizeram a fama do lugar.

Que modo melhor de começar o roteiro do que pelas minas de ouro? Afinal, os primeiros visitantes chegaram até aqui por conta delas. Ruínas dos primeiros núcleos mineradores podem ser vistas no Morro da Queimada. A Mina Chico Rei possui cinco andares e uma galeria de 115000 metros que se estende por debaixo da cidade. A 10 km de Ouro Preto, a Mina da Passagem é toda aberta a visitação com direito a um lago subterrâneo. Fica no parque Minas Radical, que oferece também opções para arvorismo, canoagem, rapel e trekking.

Pelas trilhas do Parque Estadual do Itacolomi seus pés não caminham apenas pelo espaço, mas também no tempo. Os caminhos de tropeiros e bandeirantes são reconstituídos na paisagem e na fala dos guias. O Pico Itacolomi, com 1700 metros de altitude, dá uma boa escalada e uma vista ainda melhor de Ouro Preto e Mariana.

O humor das andorinhas não se altera com a força da queda d’água de 40 metros, e elas permanecem por lá dando o nome à Cachoeira das Andorinhas. A cachoeira de Três Moinhos forma uma pequena praia natural.

Como toda cidade universitária que se preze, Ouro Preto possui uma agitada vida noturna, principalmente nos barzinhos e nas festas das repúblicas. Há também tradicionais festivais, como o de Inverno e o de Jazz. Pode-se chegar a Ouro Preto, pela BR 040, passando por Belo Horizonte. Mas o caminho mais bonito é também o mais antigo, da Estrada Real.

Leia também
  • Artigos De olho na terra

    Fotografem muito!

    No último Dia Mundial da Fotografia, o repórter fotográfico Eduardo Bernardino falou sobre a maravilha que é o ato de fotografar e deu dicas importantes para os amantes de uma boa foto

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x