Cuca Jorge / Adventure Fair 2013
Foto: Cuca Jorge
Adventure Fair 2013 apresentou 11,3% a mais de público
Cuca Jorge / Adventure Fair 2013
Foto: Cuca Jorge
A pista de snowboard é uma das velhas atrações
Cuca Jorge / Adventure Fair 2013
Foto: Cuca Jorge
A pista de skate, assim como o esporte, foi novidade
Adventure Fair 2013 / Eduardo Bernardino
Foto: Eduardo Bernardino
Feira teve queda no número de expositores
Compartilhe

Adventure Fair 2013 atrai 60 mil pessoas

Terça, 07 Maio 2013 15:50
Eduardo Bernardino | Do Caravana

Maior feria de aventura da América Latina festeja boa presença de público, mas tem problemas e precisa ser repaginada


Com 60 mil visitantes, a Adventure Sports Fair 2013 festejou seus 15 anos de existência com 11% de aumento no público em relação ao ano passado. Foram apresentadas diversas novidades para o setor de turismo e esportes de aventura, graças à participação de 130 expositores.

No entanto, estes números não devem ser motivo de tanta comemoração, uma vez que na edição de 2008, quando comemorou dez anos, a feira atraiu 61 mil visitantes em quatro dias de evento (um dia a menos do que a edição atual) e 300 expositores. Já em 2003, a feira comemorava a participação de 89 mil visitantes e com 260 expositores.

Mesmo esvaziada se comparada há outros anos, a Adventure Fair ainda é uma importante plataforma de lançamentos e de oportunidades para negócios.

"O mercado de esporte outdoor vai ter um crescimento grande no país nos próximos anos, uma vez que as pessoas estão buscando diversificação nas modalidades", afirma Sérgio Bernardi, diretor do evento.

A inclusão da Board Sports Fair, local exclusivo para reunir esportes de prancha, como surfe, skate, sandboard, snowboard, stand up paddle e kitesurf, mostrou uma boa aceitação do público. Este mercado tem apresentado grande potencial no país e tende a crescer nos próximos anos, segundo estudo da Sports Good Intelligence Europe (SGI).

A feira também atraiu pela primeira vez alguns destinos turísticos, como México, Curaçao, no Caribe, e Bonaire, nas Antilhas Holandesas, que montaram estandes para divulgar suas atrações no setor de ecoturismo.

"A feira nos traz uma chance importante de divulgarmos nossas belezas naturais e atrair turistas", afirmou Yasmin Pires, diretora regional de turismo de Bonaire para a América Latina.

Um dos estandes com maior destaque no evento foi o de Mendoza, na Argentina. A província foi um dos patrocinadores da feira este ano e montou um estande exclusivo, com diversas atrações, degustação de vinhos e a promoção do mundial de kitesurf, já que vai ser sede da próxima edição do evento.

Outro espaço novo neste ano foi o Adventure Travel Business, destinado a rodadas de negócios entre fornecedores e compradores de produtos e serviços turísticos. Nesta edição, foram agendadas mais de 150 reuniões, número menos se comparado aos 250 agendamentos em 2008, por exemplo, quando o espaço era chamado de Business Point.

"A ideia é aumentar esse espaço nos próximos anos e trazer mais produtos de aventura com luxo, que vem crescendo e ganhando mais importância no país e no exterior", ressalta Sérgio Bernardi.

Falta estrutura

O Caravana da Aventura esteve no evento, como vem fazendo há alguns anos, e se surpreendeu com grandes espaços vazios na feira. A mínima estrutura exigida para o trabalho da imprensa, como uma conexão de rede wi-fi, para navegação sem fio na internet, não estava disponível.

Computadores com teclados desconfigurados foi outro problema enfrentado pelos profissionais de imprensa nos cinco dias de evento.

Em conversa informal com alguns atletas e palestrantes que estavam no evento, foram ouvidas reclamações sobre a falta de apoio da feira àqueles que fazem parte dela.

A organização do evento não forneceu nenhum tipo de ajuda de custo (como transporte, hospedagem e alimentação) aos entrevistados: “Havia apenas água para os palestrantes”, afirmou um deles, que pediu anonimato.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x