Salvador (BA) / Tatiana Coutinho
Foto: Tatiana Coutinho
Elevador Lacerda, um dos belos cartões-postais
Salvador (BA) / Mario Carvajal
Foto: Mario Carvajal
As praias são uma atração a parte de Salvador
Salvador (BA) / Divulgação
Foto: Divulgação
O esporte de aventura também se faz presente
Salvador (BA) / Divulgação
Foto: Divulgação
Fauna local ganha destaque e atenção dos turistas
Compartilhe

Salvador dos Orixás, da alegria e da aventura

Quinta, 31 Julho 2014 10:15
Igor Pereira | Especial para o Caravana

Visitar a capital baiana é mergulhar nas belezas naturais, na magia da cultura popular e curtir tudo no ritmo do bom baiano


Há uma Bahia na imaginação de cada brasileiro. Conhecer Salvador é experimentar o mito. Desvendar a realidade no inventado. A magia dos orixás, a comida preparada em ritual, a tal alegria que é tão simples que ninguém entende.

Uma cidade com duas versões, a alta e a baixa, unidas por um elevador. Do Pelourinho, do Mercado Modelo, das igrejas cobertas de ouro. Da batucada permanente, do samba de roda, da guitarra baiana e do afoxé. Do Nosso Senhor do Bonfim.

Os adjetivos da cidade se encaixam na natureza ao seu redor. Praias, ilhas, trilhas e a mata dão várias opções ao viajante aventureiro. Na Reserva da Sapiranga, as trilhas levam a túneis sob as árvores, com orquídeas e bromélias selvagens, micos e tamanduás. São 600 hectares de Mata Atlântica, fica próxima da Praia do Forte, com acesso pela Estrada do Coco. Além da Reserva da Sapiranga, a praia é sede do projeto Tamar. Próximo dali o castelo Garcia D’Ávila. Construído no século XVI é o único da América do Sul, com características medievais.

Além de dormir nos braços morenos da lua de Itapuã há muito que fazer pelas praias de Salvador.  Que tal homenagear Iemanjá aproveitando suas ondas? Há excelentes picos de surfe nas praias da Barra, Barravento e Corsários. Os ventos que sopram em Itapuã fazem da praia o lugar ideal para a prática do windsurfe e do kitesurfe.

Pra completar o passeio a pedida é navegar pelas ilhas da Baía de Todos os Santos. Conhecer as vilas de pescadores, os naufrágios ocultos, a natureza preservada. Na volta pra casa o que antes era só imaginação ganha força, vira lembrança que modifica a cabeça da gente. Saravá!

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x