Como está sua pegada ecológica?
Foto: Otávio Lino
Durante sua passagem, deixe cada coisa em seu lugar
Como está sua pegada ecológica?
Foto: Daniel Cotelessa
Acampar é bom, mas requer cuidado e planejamento
Como está sua pegada ecológica?
Foto: Divulgação
Viajar em pequenos grupos é o ideal e a natureza agradece
Como está sua pegada ecológica?
Foto: Divulgação
Respeite os moradores locais, demonstrando cordialidade
Como está sua pegada ecológica?
Foto: Divulgação Mitsubishi
Mapa e bússola são itens indispensáveis
Como está sua pegada ecológica?
Foto: Thiago Sá
Condutas conscientes ajudam no mínimo impacto à natureza
Compartilhe

Como está sua pegada ecológica?

Quinta, 27 Janeiro 2011 10:27
Camila Frois | Especial para o Caravana

Com o crescimento das atividades de aventura no Brasil, campanha "Pega Leve", do CEU e da ong WWF, divulga princípios e condutas conscientes voltadas para o mínimo impacto nos ambientes naturais


Para quem está acostumado a visitar os parques, florestas, praias e diversas áreas naturais do país, desfrutando ricos e variados cenários brasileiros, vale conferir as dicas da Campanha "Pega Leve!", que visa diminuir as pegadas do caminho e contribuir com uma ética do mínimo impacto na natureza.

A proposta dos idealizadores é estimular um turismo sustentável, sem degradação ambiental, poluição ou desrespeito às comunidades locais, em virtude do crescimento do “turismo ao ar livre” nas últimas décadas.

No Brasil, o ecoturismo e os esportes de natureza têm ganhado cada vez mais praticantes. De acordo com um estudo de pesquisadores da Escola de Negócios da Universidade de George Washington, o Brasil está entre os cinco países com mais adeptos das atividades de aventura no mundo.

Esse turismo, por muito tempo considerado uma escolha de poucas pessoas mais ousadas, está se tornando popular e com muito mais interessados nas travessias de montanhas, rapeis, raftings e viagens de bicicleta, por exemplo.

O problema é que, em virtude desse turismo, muitas áreas têm sido descaracterizadas. Os problemas mais comuns são desmatamento de áreas verdes para construção de infraestrutura para os esportistas, excesso de barulho, poluição e abandono de lixo em locais de acampamentos...

Quando praticados sem orientação ou consciência, até mesmo atividades aparentemente inofensivas como o trekking, que dispensa a utilização de equipamentos, podem acarretar consequências relevantes para as áreas naturais.

Isso motivou o Centro Excursionista Universitário (CEU) e o WWF a elaborarem a campanha, “pegando leve, você estará ajudando a proteger o meio ambiente, dando maior prazer a sua visita e prevenindo acidentes”.

O coordenador do "Pega Leve!", Milton Dines, lembra que o programa é voltado à convivência responsável com o ambiente natural, dedicado a construir a conscientização, apreciação e, principalmente, o respeito pelas áreas naturais. “Uma ética, que orienta a conduta adequada do cidadão consciente da importância da conservação da biodiversidade no Brasil.”

É comum que os amantes da natureza busquem lugares mais intocados em busca da aventura. “O equilíbrio ecológico e a saúde dessas áreas dependem do bom estado de sua conservação”, destaca o texto da campanha. “Saiba que não é possível realizar trabalhos de limpeza e conservação em ambientes naturais, da forma como acontece nas cidades. Portanto, a proteção desses locais depende muito do comportamento dos visitantes.”

E sua pegada, como está!? Confira...

A seguir, os oito princípios e práticas da Campanha "Pega Leve!":

1-Planejamento é fundamental

• Entre em contato prévio com a administração da área que você vai visitar para tomar conhecimento dos regulamentos e restrições existentes.

• Viaje em grupos de até 10 pessoas. Grupos menores se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impacto.

• Certifique-se de que você possui uma forma de acondicionar seu lixo em sacos plásticos para trazê-lo de volta. Aprenda a diminuir a quantidade de lixo, deixando em casa as embalagens desnecessárias.

• Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita conforme o seu condicionamento físico e seu nível de experiência.

2 - Cuide dos locais por onde passa, das trilhas e dos acampamentos

• Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas - não use atalhos, pois estes favorecem a erosão e a destruição da vegetação.

• Ao montar o seu acampamento, evite áreas frágeis que levarão um longo tempo para se recuperar após o impacto. Em qualquer situação, acampe a pelo menos 60 metros da água.

• Bons locais de acampamento são encontrados, não construídos. Não corte nem arranque a vegetação, nem remova pedras ao acampar.

• Remova todas as evidências de sua passagem. Ao percorrer uma trilha ou ao sair de uma área de acampamento certifique-se de que esses locais permaneceram como se ninguém houvesse passado por ali.

3 - Deixe cada coisa em seu lugar

• Não construa qualquer tipo de estrutura, como bancos, mesas, pontes e etc. Não quebre ou corte galhos de árvores, mesmo que estejam mortas ou tombadas, pois podem estar servindo de abrigo para aves ou outros animais.

• Resista à tentação de levar “lembranças” para casa. Deixe pedras, artefatos, flores, conchas onde você os encontrou para que outros também possam apreciá-los.

• Tire apenas fotografias, deixe apenas suas pegadas, mate apenas o tempo e leve apenas suas memórias.

4 - Respeite os animais e as plantas

• Observe os animais à distância. A proximidade assusta ou pode ser interpretada como uma ameaça e provocar ataques, mesmo por parte de pequenos animais. Além disso, animais silvestres podem transmitir doenças graves.

• Não alimente animais. Eles podem acabar se acostumando com a comida que oferecemos e passar a invadir os acampamentos em busca de alimento, danificando barracas, mochilas e outros locais.

• Não retire flores e plantas silvestres. Aprecie sua beleza no local, sem agredir a natureza e dando a mesma oportunidade a outros visitantes

5 - Você é responsável por sua segurança

• O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo, podendo levar dias e causar grandes danos ao ambiente. Portanto, em primeiro lugar, não se arrisque sem necessidade.

• Calcule o tempo total que passará viajando e deixe um roteiro de viagem com alguém de confiança, com instruções para acionar o resgate, caso necessário.

• Avise a administração da área sobre sua visita e sobre sua experiência, o tamanho do grupo, o equipamento que vocês estão levando, o roteiro e a data esperada de retorno. Estas informações facilitarão o seu resgate em caso de acidente.

• Aprenda as técnicas básicas de segurança, como navegação (saiba usar um mapa e uma bússola) e primeiros socorros. Para tanto, procure os clubes excursionistas, escolas de escalada, e cursos de idoneidade comprovada.

• Tenha certeza de que você dispõe do equipamento apropriado para cada situação. Grande parte dos acidentes e agressões à natureza são causados por improvisações, negligência e uso inadequado de equipamentos.

• Leve sempre os itens essenciais: lanterna, agasalho, capa de chuva, chapéu, um estojo de primeiros socorros, alimento e água, mapa e bússola, saco de lixo e protetor solar, mesmo em atividades com apenas um dia ou poucas horas de duração.

6 - Traga seu lixo de Volta

• Embalagens vazias pesam pouco e ocupam um espaço mínimo em sua mochila. Se você pode levar uma embalagem cheia, pode trazê-la vazia na volta.

• Não queime nem enterre o lixo. As embalagens podem não queimar completamente, e animais podem cavar até o lixo e espalhá-lo. Traga todo o seu lixo de volta.

• Utilize as instalações sanitárias (banheiros) que existirem. Caso não haja, cave um buraco com quinze centímetros de profundidade a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água, trilhas ou locais de acampamento.

• Não use sabão nem lave utensílios e panelas em fontes de água. Lave o que for necessário a pelo menos 60 metros das fontes d'água.

7 - Evite fazer fogueiras

• Elas enfraquecem o solo, enfeiam os locais de acampamento e representam uma grande causa de incêndios florestais.

• Para cozinhar, utilize um fogareiro próprio para acampamento. Os fogareiros modernos são leves e fáceis de usar. Cozinhar com um fogareiro é muito mais rápido e prático que acender uma fogueira.

• Para iluminar, utilize um lampião ou uma lanterna ao invés de uma fogueira.

• Para se aquecer, tenha a roupa adequada para o clima do local que está visitando. Se você precisar de uma fogueira para se aquecer, provavelmente planejou mal a sua aventura.

8 - Seja cortês com a população local

• Quando estiver em comunidades, ande e acampe em silêncio, preservando a tranquilidade e a sensação de harmonia que a natureza oferece. Deixe rádios e instrumentos sonoros em casa.

• Trate os moradores da área com cortesia e respeito. Mantenha as porteiras do modo que encontrou e não entre em casas e galpões sem pedir permissão. Seja educado e comporte-se como se estivesse visitando uma casa alheia. Aproveite para aprender algo sobre os hábitos e a cultura do meio rural.

• Prefira contratar os serviços locais de hospedagem, transporte e serviços. Desse modo, você estará colaborando para que os recursos financeiros permaneçam na comunidade.

Fonte: www.pegaleve.org.br

Leia também

Comentários

  • leila Woiski
    leila Woiski
    18 Março 2011 at 10:51 |

    excelentes as orientações.
    mesmo para quem já é praticante.
    responsabilidade ecológica eterniza a diversão preservando os lugares maravilhosos desse nosso planeta!
    cada um fazendo a sua parte...

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x