Dez destinos para curtir o frio
Foto: Divulgação
A glamorosa Campos do Jordão (SP) está no roteiro
Fondue / Divulgação
Foto: Divulgação
O fondue domina o cardápio de inverno
Monte Verde (MG) / Bruno Diniz
Foto: Bruno Diniz
O Pico do Selado, em Monte Verde (MG), atrai turistas
Gramado (Catedral de Pedra) / Adilson Andrade
Foto: Adilson Andrade
Catedral de Pedra, em Gramado (RS), impressiona
Ibitipoca (MG) / Dois Expressos
Foto: Dois Espressos
Ibitipoca (MG): trilha leva até ao Lago dos Espelhos
Rapel / Lenny Climb
Foto: Lenny Climb
O rapel é opção em vários destinos mesmo no frio
Domingos Martins (ES) / Robert Blackie
Foto: Robert Blackie
Cascata do Galo é atração em Domingos Martins (ES)
Inverno / Violinha
Foto: Violinha
No frio, a culinária local ganha destaque
Bosque do Alemão (PR) / Claudete Dorocinski
Foto: Claudete Dorocinski
Bosque do Alemão: atração na fria Curitiba (PR)
Conservatória (RJ) / Portal Sescsp
Foto: Portal Sescsp
A pequena Conservatória (RJ) une frio e tranquilidade
Compartilhe

Dez destinos para curtir o frio

Terça, 14 Maio 2013 13:41
Caravana da Aventura | Da Redação

A estação mais fria do ano nem chegou oficialmente e as temperaturas baixas já convidam a curtir o frio. Confira o roteiro!


O Inverno, a estação mais fria do ano, começa oficialmente no próximo dia 21 de junho. No entanto, em algumas regiões do país já é possível curtir as temperaturas baixas, bem propícias para se aconchegar diante de uma boa lareira e com uma boa bebida quente, além da culinária típica da estação.

No sul do país, por exemplo, até as famosas geadas já podem ser vistas em algumas cidades do interior do Rio Grande do Sul.

Como de costume, o Caravana já se antecipa à data e publica uma série de destino que tem a temperatura baixa como característica. O objetivo é ajudar o amigo internauta na busca do roteiro ideal para curtir o Inverno.

Abaixo, os dez destinos mais procurados na estação mais fria do ano e que recebem também o carimbo do Caravana nos quesitos estrutura não só para o ecoturismo, mas também para a prática do esporte de aventura. Confira!

Gramado e Canela (RS) – No sul do país, as duas cidades mobilizam os visitantes que curtem temperaturas baixas. Gramado está em festa, já que neste ano comemora seu centenário. Então é um motivo a mais para visitar a cidade e curtir a hospitalidade do povo local.

Além disso, são vários os pontos turísticos por lá: Belvedere – Vale do Quilombo, a Igreja do Relógio e o Palácio dos Festivais – Cine Embaixador, onde acontece a exibição dos filmes participantes do “Festival de Cinema de Gramado”.

Já em Canela, “coladinha” a Gramado, o esporte de aventura dita o ritmo da região também no Inverno. Entre um chocolate quente e outro, o visitante pode visitar a Cascata do Caracol, com 131 metros de altura, e curtir também a arquitetura da Catedral de Pedra, que apresenta um estilo gótico e é dedicada à Nossa Senhora de Lourdes.

Rafting no Rio Paranhana e rapel na Pedra da Lageana e em Três Forquilhas são outras opções. Já no vale da Ferradura há um cânion de 420 metros que pode ser escalado também.

Curitiba (PR) – Já na capital paranaense, o Inverno também é atração. As baixas temperaturas dão um ar europeu à cidade, que também é muito assediada no Inverno.

Diferente de Gramado e Canela, que são cidades turísticas, Curitiba apresenta estrutura de capital de ponta, então o visitante pode desfrutar de muitas outras atrações.

A agenda de Inverno está recheada. Apresenta feira de malhas e muitas competições de esporte a motor. As atrações são diversas também e contemplam todas as estações do ano.

O Bosque do Alemão, inaugurado em 1996, divulgam as tradições alemãs. São 38 mil m² de mata nativa, que faziam parte da antiga chácara da família Schaffer. A réplica de uma antiga igreja de madeira, construída em 1933 no bairro Seminário, com elementos decorativos neogóticos, abriga uma sala de concertos denominada Oratório de Bach.

Já na parte cultural, a capital paranaense apresenta o Museu Oscar Niemeyer, a Casa da Leitura e a Capela Santa Maria como visitas obrigatórias.

Campos do Jordão (SP) – Deixando o Sul do país, a região sudeste tem também suas opções para o Inverno. A pequena e glamorosa Campos do Jordão atrai pelas temperaturas baixas e pela badalação. A agenda da cidade é recheada também nesta estação do ano.

A dica do Caravana é o passeio de bonde, que percorre toda a cidade, partindo da estação Emílio Ribas-Capivari até o portal de entrada da cidade. O passeio é de cerca de sete quilômetros e dura 50 minutos, atraindo muitos visitantes.

Por isso vale a pena programar o passeio com antecedência, pois a procura é muito grande.

Parque dos Lagos, Morro do Elefante, Pedra do Baú, Gruta dos Crioulos e Trilha da Borboleta são as atrações locais que contemplam o esporte de aventura.

A Pedra do Baú é um dos símbolos da cidade, com 1950 metros de altitude. Lá é possível praticar escalada.  Já a trilha das Três Matas e da Casa Redonda são as preferidas dos fãs do mountain-bike.

Campos apresenta inúmeros circuitos para jipes e veículos off-road na Serra da Mantiqueira.

Monte Verde (MG) – Ainda pela região sudeste, a também pequena e aconchegante, porém não tão glamorosa Monte Verde entra no roteiro pela temperatura baixa e pela simpatia. Isso mesmo! O distrito da cidade mineira de Camanducaia fica a 167 km de São Paulo, com acesso pela Rodovia Fernão Dias, e ganha o visitante pela simplicidade.

Com uma boa infraestrutura de hospedagem e muitas opções de esporte de aventura, Monte Verde abriga casais apaixonados, famílias e aqueles que não abrem mão do esporte de aventura mesmo no frio.

Leia mais: Descubra mais de 70 destinos pelo Brasil

As atrações são as mais variadas. Pedra Partida, Pedra Redonda, Pico do Selado e Rio Jaguari estão à disposição. Arvorismo, escalada, rapel, off-road e rafting são algumas das modalidades de aventura à disposição.

Dica do Caravana: Em Monte Verde, o fondue é o prato principal no Inverno. E com preços acessíveis até mesmo na temporada mais alta e teoricamente mais cara aos visitantes. Por isso, prepare-se e deguste este prato bem propício para os dias mais frios. Você não vai se arrepender.

Aiuruoca (MG) – Seguindo na região sudeste, a região mineira apresenta outra opção das mais interessantes para curtir a estação mais fria do ano. Trata-se de Aiuruoca, repleta de paisagens exuberantes, cachoeiras, trilhas, montanhas e bosques de araucária.

Este pedaço de chão mineiro fica próximo também do Vale do Matutu, outro “point” de grande apelo turístico, sobretudo para aqueles que curtem acampar e praticar trekking.

Outra particularidade da região são as baixas temperaturas, que dão à Aiuruoca um charme especial principalmente no inverno. Além das paisagens e dos esportes de aventura, a cidade tem barzinhos espalhados que são uma ótima pedida, principalmente nos dias frios para curtir o vento gelado e o clima europeu desta cidadezinha mineira, de nome difícil de ser pronunciado, porém de simplicidade típica mineira.

Ibitipoca (MG) – Ainda no rota do frio, mais um destino mineiro destaca-se na estação mais fria do ano. O Parque Estadual do Ibitipoca fica a 3 km de Conceição do Ibitipoca. Com uma área de 1500 hectares exibe uma flora variada de orquídeas, bromélias e cactos. A vegetação é responsável pela cor única dos rios e de algumas cachoeiras, que varia do caramelo ao laranja.

Ibitipoca tem suas atrações locais, típicas de uma cidade simples e hospitaleira. No entanto o esporte de aventura sopra forte na região mesmo no Inverno.

Cachoeirismo, canionismo, escalada, espeleoturismo, montanhismo, pesca esportiva e rafting ditam o ritmo da aventura.

O rio Vermelho deságua na Janela do Céu, um mirante natural. Há o colorido laranja da cachoeira dos Macacos e a brancura da areia do Lago dos Espelhos.

Não é preciso lanterna para conhecer a gruta dos Três Arcos. A luz das três entradas é suficiente. Na gruta dos Fugitivos, há vestígios de um antigo quilombo. A gruta das Bromélias possui 3 km de galerias subterrâneas.

Para escalada, o Morro da Lombada e o Pico do Pião, com 1784 metros de altitude, são opções e é de onde se pode observar todo parque. O viajante encontrará por ali um altar vazio. Diz-se que a Igreja que lá havia foi destruída por uma tempestade de raios.

Conservatória (RJ) – Já em terras cariocas, o pequeno distrito de Valença, na região serrana do Rio, abriga Conservatória, que é conhecido como a cidade da seresta. A região é rica em belezas naturais, turismo cultural e histórico.

Os espaços culturais são muitos e se encontram até mesmo nos restaurantes e bares da região. Destaque para o Recanto dos Artistas, Canto Lírico, Casa de Cultura, Casa do Poeta – Ateliê e Centímetro, entre outros.

Leia também: Confira as 27 modalidades de aventura!

Agora, no Inverno, Conservatória promove a Feira de Inverno da Aparco, que acontece na Praça Getúlio Vargas, onde a produção artesanal de malhas, cachecóis, gorros e luvas são comercializados.

No entanto, a tradição em serestas e serenatas atrai turistas de todo o país. A maioria das casas têm afixadas na fachada principal uma placa com o nome e autoria de uma música de seresta, escolhida pelo próprio morador.

Esta placa é colocada durante à noite, com uma cerimônia que começa com a saída dos seresteiros do Museu à casa, cantando pelas ruas músicas de serenata. Enquanto a placa é colocada, canta-se a canção. Depois os seresteiros e visitantes entram casa adentro e são recepcionados pelo dono com coquetel e festa.

Domingos Martins (ES) – Este município é um dos destinos mais procurados pelos turistas que visitam o Espírito Santo, pois oferece o sossego do interior a apenas 40km da capital Vitória.

Domingos Martins tem a vocação para promoção da música popular e clássica, principalmente durante o Festival De Inverno, que sempre mobiliza a cidade e atrai muitos turistas.

Entre as atrações locais culturais, a principal é a Casa da Cultura. Localizada no centro da cidade, o prédio que já foi sede da maçonaria hoje abriga o Museu Histórico de Domingos Martins, que apresenta móveis, livros, documentos e fotografias que contam a história da colonização alemã e italiana do município.

Agora, quem procura os sentimentos mais lúdicos de contato com a natureza, vai encontrar boas opções na cidade, como o Parque Estadual de Pedra Azul, que abriga a Reserva Florestal da Pedra Azul, localizado no distrito de Aracê e a Cascata do Galo, situada a 10 km da sede do município, com águas que correm pelo paredão de 70 m de altura, tornando o local propício para banhos e para a prática de rapel.

Aos interessados, uma boa dica: a Planeta Vertical oferece o rapel na cascata, que é uma aventura de tirar o fôlego mesmo na estação mais fria do ano.

Pirenópolis (GO) – Da região centro-oeste, a pequena Pirenópolis pede passagem. A terra do arroz com pequi, da arquitetura colonial e de folclore rico, conta também com a Cavalhada e a Festa do Divino.

Piri, como é conhecida, fica entre Brasília e Goiânia e o acesso se dá pela BR 414 (até Corumbá), depois pela GO 338 até Pirenópolis.

O Parque Estadual da Serra dos Pireneus é uma reserva de cerrado que fica a 20 km de Pirenópolis. Possui como atração principal a Serra dos Pireneus, com três picos bons pra escalar. O mais alto deles é o Pico dos Pireneus com 1385 metros.

A reserva ecológica de Vargem Grande possui várias trilhas e duas cachoeiras: Santa Maria e Lázaro. Outra opção de trekking interessante são as pedreiras de Pirenópolis.

Além do trekking e da escalada, a cidade oferece várias opções de atividade de aventura. Rapel na Cachoeira do Abade e na Cachoeira do Rosário; arvorismo nas trilhas do Vaga fogo; acqua ride no Rio das Almas; e rafting no Rio Corumbá são opções instigantes.

No frio, as temperaturas baixas tornam Pirenópolis uma atração das mais convidativas. Boa gastronomia e hospedagem para todos os tipos de bolso transformam a pequena Piri num roteiro imperdível também no frio.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x