Camisetas reagem à poluição e mudam de cor
Foto: Divulgação
A camiseta com o pulmão estampado é um dos modelos
Compartilhe

Camisetas reagem à poluição e mudam de cor

Terça, 01 Fevereiro 2011 14:15
Caravana da Aventura | Das agências

Dupla americana desenvolveu a ideia e já pensa em comercializá-la

Camisetas como indicadores biológicos? Pois está foi a ideia de dois estudantes, da Universidade de Nova Iorque. Eles criaram peças que ganham tonalidades azuis quando entram em contato com o ar poluído.

Foram criadas duas estampas: uma é o desenho de um coração e a outra o desenho de um pulmão. Segundo os criadores do produto, a intenção era mostrar às pessoas o que acontece quando elas respiram o ar poluído das grandes cidades.

“Os órgãos do seu corpo são invisíveis para você, assim como a poluição e os outros assassinos em silêncio lá fora”, disse Nien Lam, um dos criadores da camiseta.

As estampas não foram escolhidas por acaso, já que o pulmão e o coração são os órgãos que mais sofrem com a poluição. Para destacar as veias em azul, os estudantes instalaram um pequeno sensor de monóxido de carbono na camiseta que, quando detecta poluentes, envia sinais elétricos através de fios para as estampas.

Por serem de tecido termocrômico, o calor dos fios muda a cor dos desenhos. Então, fumaças de escapamento dos carros, de fábricas e até de cigarros são detectadas e "exibidas" como um sinal de alerta para quem usa a camiseta e para aos que estão ao seu redor.

Apesar de ainda serem apenas protótipos, os designers já pensam em formas de baratear o produto e torná-lo acessível à população. No momento, a confecção de cada unidade custa em torno de US$ 60,00.

Os designers já estão testando outros tipos de sensores, como um detector de álcool. Sue Ngo, co-autora do projeto, explica que neste caso "quando você ingerisse álcool, o sensor captaria e alteraria a cor do figado estampado na camiseta."

 

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x