Hora do Planeta/Divulgação
Foto: Divulgação
Hora do Planeta mobilizou um bilhão de pessoas em 2012
Hora do Planeta/Divulgação
Foto: Divulgação
Ex-modelo, Claudia Liz, veste a camisa pelo planeta
Ponte Estaiada/Rodrigo Soldon
Foto: Rodrigo Soldon
A Ponte Estaiada, em São Paulo, já foi apagada
Hora do Planeta/Coletivo Difuso
Foto: Coletivo Difuso
Em todo mundo pessoas passam uma hora no escuro
Compartilhe

"A Hora do Planeta está ao alcance de todos"

Quinta, 14 Março 2013 12:58
Eduardo Bernardino | Do Caravana

Em entrevista ao Caravana, a superintendente Regina Cavini, da WWF-Brasil torce por um "apagão" no dia 23

“Em 23 de março, apagar as luzes é só o começo”. É com esta chamada que a WWF, ONG mundial comprometida com a conservação da natureza dentro do contexto social e econômico, divulga a “Hora do Planeta”, conhecida internacionalmente como Earth Hour.

Este é um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global.

Quem quiser aderir ao ato, terá que apagar as luzes de onde estiver, no sábado, dia 23, das 20h30 às 21h30.

Serão sessenta minutos de escuridão em prol do planeta. Em 2012, as luzes de empresas e residências foram apagadas por mais de um bilhão de pessoas durante a Hora do Planeta.

Desde sua criação, em 2007, na Austrália, o número de participantes não parou de crescer. Em 2012, mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo apagaram as luzes durante a Hora do Planeta.

O evento conta inclusive com a participação de grandes cidades, como São Paulo, que em edições anteriores apagou as luzes de pontos importantes como a Ponte Estaiada, o Teatro Municipal e o Viaduto do Chá.

Já outras cidades como Curitiba e Porto Alegre também mostraram sua preocupação com o planeta, além de empresas como Johnson & Johnson, Itaú, Submarino, Wal-Mart e outras.

Personalidades como a ex-modelo Cláudia Liz e entidades como a “SOS Mata Atlântica”, já confirmaram que irão apagar as luzes na noite do dia 23.

No entanto, há também muitas críticas ao ato. Aqueles que não aderem à Hora do Planeta dizem que apagar as luzes por uma hora não trará benefício ao meio-ambiental e que este ato seria apenas uma forma fácil de aliviar um pouco a consciência pesada daqueles que nada fazem no dia a dia para combater o aquecimento global.

Diante dos prós e contras, a reportagem do Caravana decidiu conversar com a superintendente da WWF-Brasil, Regina Cavini.

Caravana da Aventura - O que é a Hora do Planeta?

Regina Cavini - A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas.

- Quando ela foi criada?

- Sua primeira edição foi em março de 2007. Desde então a Hora do Planeta não parou de crescer. O que começou como um evento isolado em uma única cidade, Sidney, na Austrália, tornou-se uma ação global, envolvendo um bilhão de pessoas em mais de cinco mil cidades de 152 países.

- No Brasil, locais como o Teatro Municipal de São Paulo e a estufa do Jardim Botânico de Curitiba já ficaram apagados por uma hora em edições anteriores. No mundo, quais outros locais importantes já aderiram à Hora do Planeta?

- No Brasil, tivemos 588 monumentos apagados no ano passado. Em outros países, alguns dos mais conhecidos monumentos mundiais, como as pirâmides do Egito, a Torre Eiffel, em Paris, a Acrópole de Atenas e até mesmo a cidade de Las Vegas já ficaram no escuro durante sessenta minutos.

- Este ano a Hora do Planeta também está ligada ao problema da água, certo?

- Sim o movimento este ano chamará a atenção da população para as necessidades e os desafios em torno da água. A ação está alinhada à iniciativa da Unesco, que definiu 2013 como o Ano Internacional da Cooperação pela Água.

- Quantas pessoas participaram na edição de 2012?

- Em 2012, mais de um bilhão de pessoas, em 152 países, participaram da ação em todos os continentes. No Brasil, batemos o recorde com a adesão de todas as capitais brasileiras e 133 cidades.

- Muitas pessoas criticam a Hora do Planeta dizendo que a economia de energia gerada durante o ato não traz nenhum benefício ambiental real. A economia gerada pelos participantes é uma preocupação?

- A Hora do Planeta é uma mobilização que visa agregar pessoas, empresas e governos em torno da necessidade de mudanças para redução do aquecimento do planeta e em prol da conservação da natureza. O movimento não tem por objetivo reduzir a consumo de energia, já que o apagar das luzes é um ato simbólico que foi escolhido como forma de mobilização por ser fácil de ser feito e por estar ao alcance de todos.

Acreditamos que os cidadãos podem ir dos 60 minutos das luzes apagadas a pressionar seus governantes e legisladores a adotarem medidas de redução de emissões, de manutenção da qualidade da água, do uso de tecnologias menos agressivas ao meio ambiente, dentre outras. Podem, também, contribuir de forma individual reduzindo o consumo de produtos agressivos ao meio ambiente e usando a água de forma responsável e consciente.

- Como as pessoas devem fazer para participar?

- Os interessados em participar e apoiar a ação podem se cadastrar pelo www.horadoplaneta.org.br.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x