Dia Mundial Sem Carro: Vai aderir ou ignorar?
Foto: Paulo Fehlauer
O "Dia Mundial Sem Carro" é uma data para refletir
Bikes
Foto: Lisbeth Salander
As bikes não contam com o respeito dos carros
Ciclofaixas
Foto: Milton Jung
As ciclofaixas ainda são tímidas nas grandes capitais
DMSC
Foto: Divulgação
No próximo sábado, todos os carros na garagem!
Compartilhe

Dia Mundial Sem Carro: Vai aderir ou ignorar?

Quarta, 12 Setembro 2012 12:07
Eduardo Bernardino | Do Caravana

O Dia Mundial Sem Carro acontece no próximo dia 22 e o Caravana publica artigo sobre o uso das bikes pelo país. Confira!

Dia 22 de setembro é o Dia Mundial Sem Carro (DMSC). Um dia para promover reflexões, discussões e movimentos que ressaltem o uso da bicicleta como meio de transporte.

Tenho visto muitos políticos andando de bike pela cidade. Enfim, os engravatados parecem ter percebido a importância dos eleitores que buscam melhores condições para o uso das magrelas no dia a dia. A ação dos políticos parece boa, mas não é.

Não adianta os candidatos perceberem a importância de atrair esses eleitores para o seu lado. O que adiantaria, de verdade, seria a percepção da importância das bikes frente ao caos que o trânsito se transformou nas grandes cidades.

Temos visto ciclovias e ciclofaixas surgirem em vários pontos da cidade de São Paulo, por exemplo. Já são pouco mais de 180 km de vias para bicicletas. No entanto cerca de 60 km deste total só podem ser usados durante algumas horas e apenas aos domingos e feriados. Sobram ainda 120 km dos quais aproximadamente 60 km são exclusivos para ciclistas (e quem já tentou pedalar pela cidade em vias compartilhadas sabe que o respeito por parte dos motoristas é raro).

Há também o fato desses tantos quilômetros não estarem interligados, o que dificulta ainda mais a tarefa de traçar uma rota segura para fazer as tarefas cotidianas pedalando.

Leia mais: 72 km de ciclofaixas liberadas

A bicicleta, infelizmente, ainda é vista no Brasil apenas como lazer e não como meio de locomoção. Do jeito que as ciclofaixas têm sido feitas não ajudam a resolver o problema da mobilidade nos grandes centros.

Desta forma fica muito difícil incentivar as pessoas a deixarem seus automóveis em casa no DMSC para experimentar a vida “lá fora”. Mas ainda assim em muitos casos é completamente viável deixar o carro mais dias na garagem. Explica-se: Além de fazer bem para o meio ambiente e para a saúde ainda mostra que existe um público carente de espaços "de verdade" para pedalar.

Este ano, no site oficial do DMSC há uma campanha muito legal, chamada “O governo da minha cidade não colabora”. Vale a pena conhecer e participar!

Pra quem se empolgou em tentar deixar o carro em casa um dia e sair de bicicleta, o portal “Vá de Bike” oferece sugestões de caminhos para ciclistas, além de outras tantas dicas valiosas para quem quer inserir a magrela na sua rotina e uma agenda sobre o que está rolando em várias cidades do país em prol das bicicletas.

Agora a pergunta: E aí, quem vai deixar o carro em casa e sair pedalando? Quem vai convidar alguns amigos para ir a pé para o trabalho?

Se você já conseguiu se livrar do carro (nem que seja parcialmente) deixe seu depoimento aqui no Caravana, contando como foi essa transição. Se tentou e não conseguiu, conte também qual foi a dificuldade. Vamos compartilhar experiências e incentivar essas iniciativas que fazem bem não só para a cidade, mas também para o corpo e para a mente.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x