E ninguém quer pagar a conta...
Foto: Gaelx
A Justiça determinou a volta das sacolas plásticas
E ninguém quer pagar a conta...
Foto: Beth Viveiros
As "ecobags" são sacolas sustentáveis
E ninguém quer pagar a conta...
Foto: Aeris Maud
O acondicionamento de alimentos é polêmico
E ninguém quer pagar a conta...
Foto: Ana Cotta
O excesso de lixo é um problema do planeta
Compartilhe

E ninguém quer pagar a conta...

Sexta, 29 Junho 2012 13:49
Eduardo Bernardino | Do Caravana

A guerra entre empresários x consumidores com relação às sacolas plásticas revela a falta de consciência ecológica

Nesta semana, a Justiça determinou a volta da distribuição das polêmicas sacolinhas plásticas nos supermercados paulistas. Resultado: De um lado, empresários mostram-se indignados, afinal estava indo tão bem a economia gerada pelo fim da distribuição das sacolas e o aumento dos lucros com a venda de “ecobags”. No outro extremo, consumidores comemoram, pois acham um absurdo levar suas próprias sacolas ou caixas para fazer compras.

A briga é eterna, o “selo verde” é reivindicado por empresas que não dão a mínima para o meio ambiente, apenas para terem mais um apelo propagandista, os consumidores crucificam as empresas e não assumem suas responsabilidades ou, quando tentam algo, fazem muito menos do que o mínimo pelo meio ambiente.

Todos querem um planeta mais saudável, todos pedem que alguma coisa seja feita logo, todos parecem grandes ativistas nas redes sociais, mas poucos, muito poucos, querem abrir mão de alguma facilidade da vida moderna ou de algum luxo em prol de um futuro melhor para todos.

A maioria das pessoas toma medidas apenas pontuais. É isso ajuda um pouco, pois é melhor do que nada. No entanto não faz uma diferença muito grande. “Eu separo o lixo em casa”, responde uma parte dos brasileiros.

Mas o que mais você faz? Toma banhos rápidos? Pensa duas, três, dez vezes se precisa de um determinado item antes de comprá-lo? Na hora de adquirir um produto você avalia a embalagem do mesmo antes de levar para casa (e deixa de levar se for o caso)? Tira os equipamentos eletrônicos da tomada para não gastarem energia no modo de espera? Apaga luzes acesas desnecessariamente? Faz compostagem de sobras orgânicas?

Todo mundo odeia ficar parado no trânsito, mas pouca gente pensa em usar um transporte alternativo ou fazer sistemas de carona com amigos. Todos querem menos lixo, mas poucos regulam seu consumo pensando no tanto de o desperdício gera. Toda a indústria quer apelar para os temas da sustentabilidade, mas poucas têm atitudes de grande impacto positivo.

No final vira um jogo de empurra-empurra, todo mundo joga a responsabilidade no colo do outro porque acha que já faz sua parte. Ninguém quer ter um pouco mais de trabalho ou um pouco menos de lucro em prol do meio ambiente.

Claro que é praticamente impossível fazer tudo e agradar a todos, mas quanto nos esforçamos para fazer o máximo possível? Quanto estamos dispostos a abrir mão de algumas coisas para garantir que nossos filhos, netos e bisnetos tenham um futuro mais saudável?

Infelizmente, o que vejo atualmente é que o comércio vai continuar tentando aumentar o lucro com atitudes pintadas de verde (com uma fina camada de tinta, apenas para dar uma disfarçada mesmo), o consumidor vai seguir tentando aumentar sua sensação de conforto sempre que possível e provar a si mesmo que reutilizar a sacolinha para colocar o lixo mais tarde é uma grande ação que anula os efeitos negativos do uso indiscriminado dos descartáveis. E o planeta e as gerações futuras, como sempre, sem escolha, vão pagando a conta para garantir os lucros e os luxos.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x