Educação ambiental é vital
Jones
A geração atual tem de aprender a respeitar a natureza
Compartilhe

Educação ambiental é vital

Terça, 29 Março 2011 14:11
Eduardo Bernardino | Do Caravana

Segundo o Censo de 2010, cerca de 46 milhões de jovens estão em processo de formação e precisam adquirir uma consciência ecológica

Existe um provérbio africano que diz: "Se tem um projeto pra um ano, plante um grão; Se tem um projeto pra dez anos, plante uma árvore; Se tem um projeto pra uma vida, eduque uma criança."

Se pararmos para refletir há muito conhecimento implícito neste provérbio, porém desta vez quero me ater à educação. Não vou tratar aqui sobre a educação formal, aquela cheia de conceitos e regras, que nos obrigam a engolir e regurgitar em aulas e provas na escola.

Eu quero abordar, sim, a educação que permeia os bons hábitos, aqueles que transformarão essas crianças em adultos melhores, que farão a diferença nas próximas décadas.

De acordo com o Censo de 2010, as crianças de 0 a 14 anos hoje no Brasil somam pouco mais de 24% da população, ou seja, neste momento estamos formando o modo de pensar e agir de cerca de 46 milhões de jovens. Muitos dos quais, além de consumidores, serão produtores dos bens de consumo em alguns anos.

Portanto, é muito importante que cheguem lá na frente sabendo de sua importância como cidadãos que devem zelar por uma sociedade sustentável para que haja uma convivência mais harmoniosa com a natureza e uma divisão mais justa de recursos naturais entre todos, inclusive entre aqueles que hoje são privados de tudo isso.

Nesta fase, a educação ambiental deve ser um processo de ensino e aprendizagem no qual a criança e o jovem assumem um papel central, onde deverão aprender a perceber a problemática ambiental ao seu redor e a pensar em atitudes que possam ser benéficas para mudança da realidade apresentada, sempre, claro, levando-se em consideração a ética e a cidadania em suas condutas como agente transformador.

É importante salientar que esse tipo de educação não pode ser como a maior parte dos exemplos que vemos hoje em dia sendo chamados erroneamente de "educação ambiental".

Esta não se faz por meio de conceitos passados na teoria para o educando, muito pelo contrário, ela precisa ser muito bem estruturada, abrindo a possibilidade para o aluno passar pelas quatro principais fases de aprendizado: a compreensão, com o conhecimento das leis que regem os sistemas da natureza; a responsabilidade, mostrando porque o ser humano tornou-se o protagonista dos processos de degradação; a competência, desenvolvendo a capacidade de avaliação e ação efetiva; e a cidadania, mostrando a importância de participar ativamente da sociedade para levá-la à conciliação com o ambiente, dentro de uma nova ética.

Resumindo: devemos fazer mais do que mandar a criança à escola. É preciso incentivá-la a praticar bons hábitos de respeito à natureza o tempo todo, não jogando lixo na rua, evitando produtos descartáveis, fazendo um descarte adequado do lixo, reciclagem, economizar água e energia elétrica...

Precisamos, enfim, preparar essa geração que vem aí para os desafios que os esperam nos próximos anos, aqueles para os quais ainda não temos respostas, mas que provavelmente terão uma solução quando uma grande parte da sociedade tiver mais consciência sobre os danos que temos causado ao ambiente por puro descaso.

Leia também

Comentários

Comente

Comente como convidado.

Cancelar Enviando comentário...
x